25 de abr de 2018

Caminhando com Tim Tim


"Sobre caminhos, caminhares e destinos: que o chegar não é mais valioso que a andança; que o encontro é precioso."

"Valentim tem me ensinado que o tempo é senhor de delicadezas, e desafios, e novidades constantes e intermináveis."

Texto e vídeo de Genifer Gerhardt

22 de abr de 2018

21 de abr de 2018

O topo

Um sapo decidiu chegar no topo de uma árvore. Os outros sapos gritaram:
- É impossível! É impossível!
Mesmo assim o sapo chegou ao topo... mas como? Simples! Ele era surdo e pensava:
- Todos estão me encorajando, eu preciso chegar lá em cima!

Se você quer alcançar os seus sonhos, seja surdo para pensamentos negativos.

Ideologia de gênero, pra quê serve? - Homofobia, políticos e pautas morais

4 de abr de 2018

Planboard - Planejamento de aulas

Para os professores que gostam de utilizar a tecnologia a seu favor, o Planboard é uma ferramenta online para facilitar o planejamento de aulas ou palestras e organizar melhor suas ideias.

Através de uma tela em forma de calendário e agenda, voltado especialmente para professores, ele permite estabelecer quais tópicos serão abordados em quais momentos do curso, administrar visualmente os projetos que cada turma está realizando e compartilhar estas informações com seus colegas. Apesar da interface estar em inglês, é simples pegar o jeito do programa e testar suas funcionalidades.

O aplicativo também está disponível para celular Android e iOS, onde você pode acompanhar os horários e planejamentos do dia.

27 de fev de 2018

Aceite-se!

"Aceitar-se é confundido com passividade, irresponsabilidade. O conceito é exatamente o inverso, pois quando aceitamos as coisas como são, resgatamos nossa força e nosso poder transformador."

Tirado do livro "Escutando sentimentos: A atitude de amar-nos como merecemos"

25 de fev de 2018

eBook “Como escolher uma profissão”

O Programa Orienta criou um eBook junto com a Prof.ª Laura Cristina Foz Rodrigues Alberto, com o objetivo de ajudar os estudantes a pensar em como fazer uma escolha, levando em consideração a pressão por ser algo que se levará para a vida, que é a escolha da profissão que seria a nossa “vocação”.

Clique na imagem para baixar.

Comunicação e Expressão - Parte 2

Linguagem, em sentido amplo, é qualquer meio usado para a transmissão de uma mensagem, isto é, para comunicar. A linguagem é definda em dois tipos: a verbal (oral ou escrita) com a utilização de códigos (signos) que servem para facilitar a comunicação entre os homens; e a linguagem não verbal, que se define por símbolos ou sinais em forma de desenhos e figuras que servem como ponte para a comunicação sem o uso de palavras.

Língua é um conjunto de signos e de regras de combinação desses signos, que constituem a linguagem oral ou escrita de uma coletividade, é o que permite que a mensagem seja passada de maneira compreensível. Pode ser que a mensagem não seja compreendida totalmente caso não siga as regras previamente estabelecidas. É como escrever uma frase onde as palavras estão fora de ordem e esperar que a outra pessoa entenda exatamente o que se quis dizer. A ação ou a faculdade de utilização da língua denomina-se fala.

Fala é a emissão de determinados sons combinados de modo a transmitir significações à outra pessoa. A fala é um ato individual.

Discurso é a utilização individual da língua. E como cada indivíduo tem uma maneira própria de se expressar, procura selecionar as formas de enunciado que melhor lhe exprimam o gosto e o pensamento. Essa marca, que também distingue um escritor de outro, denomina-se estilo.

Ao produzirmos um discurso, deixamos nele nossa marca, nossa ideologia, nossa filosofia, nossa maneira de encarar o mundo ou determinada situação. O discurso implica, portanto, em elevado grau de quem o produz.

Para ler a Parte 1, clique aqui.

Fontes: Português, Série Novo Ensino Médio, de João Domingues Maia, Editora Ática; e Estudo prático

Cartas de amor

Eu era aluno do Júlio de Castilhos e estudava à tarde (as manhãs, naquela época, estavam reservadas às turmas femininas). Um dia cheguei para a aula, coloquei meus livros na carteira e ali estava, bem no fundo, um papel cuidadosamente dobrado. Era uma carta; dirigida não a mim, mas "ao colega da tarde". E era uma carta de amor. De amor não; de paixão. Paixão fogosa, incontida, transbordante, a carta de uma alma sequiosa de afeto. À qual o jovem escritor não teve a menor dificuldade de responder.

Iniciou-se assim uma correspondência que se prolongou ao ano letivo, não se interrompendo nem com as provas, nem com as férias de julho. À medida que o ano ia chegando a seu fim, os arroubos epistolares iam crescendo. Cheguei à conclusão de que precisava conhecer a minha misteriosa correspondente, aquela bela da manhã que me encantava com suas frases.

Mas... Seria realmente bela? A julgar pela letra, sim; eu até a imaginava como uma moça esguia, morena, de belos olhos verdes. Contudo, nem mesmo os grandes especialistas em grafologia estão imunes ao erro, e um engano poderia ser trágico. Além disto, eu já tinha uma namorada que não escrevia, mas era igualmente fogosa.

Optei, portanto, pelo mistério, pelo "nunca te vi, sempre te amei". A minha história de amor continuou somente na fantasia. Que é o melhor lugar para as grandes histórias de amor.

Autor: Moacyr Scliar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...